‘Levanta os olhos para o céu e conta as estrelas, se és capaz...’ (Gen 15,5).

 

    O teto de uma igreja é símbolo da Aliança. Nele se contempla o céu. Não à toa os artistas impingiram com relatos bíblicos, hagiografias, corte celestial entre tantos. É uma janela para a eternidade, como o ícone.

 

    Quando entramos numa igreja românica, gótica ou barroca não é possível deixar de ver o encontro dos arcos, a união das estruturas ou a riqueza de formas geométricas que falam da perfeição.

 

    O teto não é um simples adorno onde se penduram lustres ou luminárias. É parte integrante da arquitetura religiosa e pode falar de Deus.

   

    Do mesmo modo o piso de uma igreja não é só o lugar onde se pisa.

 

    ‘Não te aproximes daqui. Tira as sandálias dos teus pés, porque o lugar onde te encontras é uma terra santa.’ (Ex 3,5).

 

    Uma igreja é consagrada para ser lugar divino. Espaço onde é realizada a liturgia sagrada. Distinto de todo lugar externo, e por isso, profano, a sacralidade de uma igreja lhe constitui como lugar único no mundo.

 

    Não é um lugar comum. É um espaço divino. Por isso, o projeto de uma igreja tem que pensar as características da sua cobertura e do seu piso. Há teologia e fé na execução de um desenho tão singular. Vamos conversar?

1
nicho 4
ícone 3_editado
ícone 6
ícone 5
CRUZ_CENTRAL__EM_BANDEJA_SÃO_MIGUEL_2
CRUZ_CENTRAL__EM_BANDEJA_SÃO_MIGUEL_1
Piso igreja S Tomé (1)
PISO (2)
PISO (3)
PISO (4)
PISO (5)
PISO (6)
PISO (7)
PISO (8)
PISO (9)
PISO (10)
Teto igreja S Tomé (1)
Teto (2)
Teto (3)
Teto (4)
Teto (5)
Teto (6)
Piso e Teto igreja S Tomé (1)
PISO E TETO (4)
PISO E TETO (5)
PISO E TETO (7)
PISO E TETO (6)

© 2015 Elaborado por MIr. Todos os direitos reservados.

PISO E TETO (6)